8 de ago de 2014

Primórdios do automóvel no Brasil

A história do automóvel no Brasil não é uma história de poucos anos, como se poderia pensar pela implantação apenas em 1956 da nossa indústria automobilística. Ainda no século XIX já se falava e andava de automóvel no Brasil. 

  Imagem: Detran SP

Sabe-se que em 1891, em São Paulo se viu andando pela rua um carro que movia por si mesmo, um Peugeot europeu, de propriedade de Alberto Santos Dumont. Foi ele o primeiro dono de automóvel no Brasil.  Em 1904 já haviam na capital 84 carros de várias marcas e dois no interior (um Darracq em Campinas e um Itala em Bragança. Em 1907 fundava-se o Automóvel Clube do Brasil.

A 24 de abril de 1919, Henry Ford  determinou que a Ford Motor Co. estabelecesse no Brasil um ramo para montar seus automóveis empregando um capital de 25 a 30 mil dólares. A primeira linha de montagem de automóveis no Brasil foi instalada na Praça da República em São Paulo. O primeiro automóvel montado foi o Modelo T, com um motor de quatro tempos, custava apenas 6 contos e 900, ou seja, custava 3 vezes menos que os concorrentes.    
FNM D-7300 (sob licença da Isotta Fraschini) foi o primero caminhão nacional, em 1949 tinha 30% de componentes nacionais. 

Com o sucesso da Ford, outras empresas se estabeleceram por aqui, como a General Motors do Brasil que se instalou em 1925, importando e montando seus modelos em um modesto prédio do Ipiranga. Mais tarde seguiram seus passos outras empresas como a International Harvester, Mercedes-Benz, Scania-Vabis, Vemag, Volkswagen, Simca, FNM, Willys e outras.

Os primeiros estudos concretos sobre a história da indústria nacional datam de 1952, quando a importação de veículos atingiu níveis muito elevados e a consequente escassez de recursos cambiais. Por causa disso diversas medidas foram tomadas, como a criação em 1952 de uma subcomissão de veículos automotores; a proibição em 1953; da importação de veículos completos e montados; criação do GEIA (Grupo Executivo da Indústria Automobilística). A partir de então inúmeros projetos começaram a ser apresentados para fabricação de diversos tipos de veículos.
           
Nos primeiros anos o índice de nacionalização era baixo. Com o tempo a indústria de autopeças foi se aprimorando e expandindo, e a indústria automobilística ganhou maturidade. 

Texto: Jornal Auto Motor 1976

Nenhum comentário:

Postar um comentário